Cine IDEA Especial Lança o curta Vênus – Filó, a Fadinha lésbica

filocapa
A animação “Vênus – Filó, a fadinha lésbica”, baseada em um poema de Hilda Hilst, é um dos filmes brasileiros deste ano selecionados para o Festival de Berlim. Dirigido pelo mineiro Sávio Leite, o curta terá seu lançamento em Belo Horizonte dentro do projeto Cine IDEA, que ocupa as quartas-feiras da IDEA Casa de Cultura com programação audiovisual alternativa e gratuita.
 
Segundo o diretor Sávio Leite, o projeto começou em 2009, quando ele foi iniciado na escrita de Hilda Hilst, encantando-se com contos como o “Teatrinho nota zero”, em que pai e filho são casados com uma ursa. Mas foi no livro “Bufólicas” que Sávio encontrou a fatalidade da fada Filó. De lá pra cá, o diretor foi apresentando a ideia a possíveis parceiros. Sete desenhistas recusaram o projeto pelo forte teor erótico. A determinação forjou com mais ardor a sensibilidade necessária para fazer dessa vertiginosa história algo inovador também no cinema de animação.

 

O desejo da voz da atriz Helena Ignez surgiu de imediato. Sávio a conheceu num festival de cinema e logo confessou sua admiração, sobretudo “por ter sido a ‘mulher de todos’ os cineastas que importam — Glauber, Julio Bressane e Sganzerla”. Sua interpretação vem com sutis modulações de deboche, deixando entrever o processo de algo macerado à luz de vozes internas, que ecoam sua experiência dramatúrgica.
 
Uma vez estruturado o roteiro, definiu-se que o filme seria feito no processo de rotoscopia, desenhando sobre decalques de imagens reais. As imagens foram pensadas pelos gifs animados, que tiveram um boom no ano passado, no Brasil. O gif animado é uma animação baseada em várias fotos em sequência para fazer um movimento. “Pesquisamos gifs eróticos na Internet e usamos a rotoscopia, uma técnica de animação em que se desenha em cima de uma imagem real”, conta o diretor. “É uma animação de pessoas fazendo aqueles atos, aqueles gestos, vivendo aquele gozo. Isso deu muita vida ao filme, dá pra se ver a alma das pessoas atrás dos traços e cores aplicados”, diz Sávio.
 
Ao longo de sua carreira, Sávio Leite tem construído uma série de animações com títulos mitológicos. Por exemplo, em Plutão, a ambiguidade entre inferno e luz é delineada em violentos embates entre personagens, com ações desconcertantes, autofágicas, em que a morte se mata, os braços que lutam enovelam-se, o beijo é letal. “Queria encaixar o texto (Filó) dentro de uma série que faço usando a mitologia como referência. A série já possui Marte (2003), Plutão (2004), Mercurio (2007), Terra (2008) e Saturno (2014). Pelo texto sabia que o símbolo seria feminino, daí a vontade de fazer Vênus a partir do texto Filó, a fadinha lésbica. O poema é um fluxo contínuo de imagens.”, conta Sávio. 
filo2 
A animação é o universo do diretor, que já dirigiu dez filmes e participou de cerca de 300 festivais em 30 países. “Representar o Brasil, no festival de Berlim, é um orgulho imenso e com um filme de animação, mais ainda! Porque a animação do Brasil está crescendo, estamos no momento mais interessante de todos os tempos, está crescendo tanto em qualidade quanto em produção, os filmes estão sendo vistos, premiados, isso contribui e ajuda para o desenvolvimento do filme de animação no Brasil’, diz o diretor. 
 
Da animação tradicional Sávio parece retirar o osso, construindo para desconstruir, buscando para tornar a perder. Uma possível ode à liberdade plena em que, frequentemente, personagens bizarros se desestruturam, apontando as falhas no tecido social. Sávio professa o elogio aos heterodoxos, subversivos, transgressores, numa obra em que não faltam críticas aos valores burgueses — “acho que ainda existe muita hipocrisia, falso moralismo, e através dos filmes procuro provocar questionamentos diversos”. 
 
Vivendo em Belo Horizonte, Sávio Leite fundou, há 15 anos, a MUMIA – Mostra Mundial Udigrudi de Animação. Ele também e é autor de dois livros sobre o gênero: ‘O cinema de animação em Minas Gerais” e ‘Maldita Animação Brasileira”. 
 
No Cine IDEA, após a exibição do curta, Sávio Leite participará de uma roda de conversa sobre diversidade e gênero. Consolidando-se como um cineclube que aproxima o público dos comentaristas, o “Cine IDEA Especial – Lançamento do curta Vênus – Filó, a Fadinha lésbica” acontecerá no dia 29 de março, quarta-feira, á partir das 19hrs, na IDEA Casa de Cultura (Rua Bernardo Guimarães, 1200).

Cine IDEA Especial – Lançamento do curta Vênus – Filó, a Fadinha lésbica (2017 – Sávio Leite) 

Dia: 29 de março (Quarta-feira) 

Horário: 19h 

Endereço: Rua Bernardo Guimarães, 1200 – Funcionários 

Entrada franca, com retirada de senha 30 min. antes da exibição.

Classificação: 18 anos

Gostou? Espalhe!

Be first to comment